O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA OBSTÉTRICA COMO UM MODELO TECNOCRÁTICO NO CONTROLE DOS CORPOS FEMININOS

Ana Claudia Coutinho da Silva, Cintia de Souza Batista Tortato

Resumo


O presente artigo visa discutir a Medicina como tecnologia social e como o seu processo de desenvolvimento tecnológico abre espaço para institucionalização do nascimento, transformando muitas vezes o parto como um fenômeno patológico. Por meio de revisão bibliográfica retrata a construção e a consolidação da medicina obstétrica como modelo tecnocrático. A proposta foi construir uma análise crítica sobre a relação entre o desenvolvimento do conhecimento técnico-científico e o controle dos corpos femininos. 

 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254782rmetg2018vol3n1521

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Ana Claudia Coutinho da Silva, Cintia de Souza Batista Tortato

Revista Mundi Engenharia, Tecnologia e Gestão ISSN 2525-4782

Qualis: B4 - Interdisciplinar, B5 - Geografia, B5 - Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo, B5 - Comunicação e Informação, B5 - Engenharias III

 

Bases indexadas