ANÁLISE DO FATOR DE ATRITO NO ESCOAMENTO DO ÓLEO DA AMÊNDOA DA MACAÚBA (ACROCOMIA ACULETA)

DAIANE Antunes Pinheiro, SHARA KATERINE MOREIRA JORGE LEAL, Rosilanny Soares Carvalho, VITOR SOARES

Resumo


Neste trabalho os ensaios foram realizados na temperatura de 27 oC utilizando-se óleo da amêndoa da Macaúba (Acrocomia Aculeata) proveniente do norte do estado de Minas Gerais, em um aparato experimental onde foram feitos diversos testes com a finalidade de obter os parâmetros para o cálculo do fator de atrito em tubos lisos. Na montagem uma mangueira de diâmetro e comprimento conhecidos, foi conectada a um recipiente em diferentes cotas e a partir do óleo escoado calculou-se a vazão mássica, por meio dos resultados experimentais foi possível quantificar o fator de atrito em tubulação de plástico usando os modelos de Bingham e Newton. Com base no levantamento da curva “Coeficiente de Atrito x Reynolds” nota-se a diminuição do fator de atrito de Fanning (f) com o aumento de Número de Reynolds (Re), logo, o regime de escoamento é caracterizado como laminar, além de se observar o efeito dos parâmetros reológicos no escoamento do óleo. Através da curva  encontrada, pode-se concluir que o coeficiente de atrito se adequa bem ao modelo de Bingham, a proximidade entre os valores teóricos e experimentais comprova a confiabilidade dos cálculos. O erro encontrado justifica-se por possíveis falhas do esquema de um viscosímetro capilar e também de desvios ocorridos nas medições durante os ensaios.

Palavras-chave


Laminar, Reynolds, Tubulação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254782rmetg2019vol4n3859

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 DAIANE Antunes Pinheiro

Revista Mundi Engenharia, Tecnologia e Gestão ISSN 2525-4782

Qualis: B4 - Interdisciplinar, B5 - Geografia, B5 - Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo, B5 - Comunicação e Informação, B5 - Engenharias III

 

Bases indexadas