APLICAÇÃO DA TEORIA DE REDES PARA ANÁLISE LOGÍSTICA DOS HUBPORTS DA CABOTAGEM BRASILEIRA

Carlos César Ribeiro Santos, Hernane Borges de Barros Pereira, Anderson da Silva Palmeira, Marcelo do Vale Cunha

Resumo


Este artigo apresenta uma aplicação da teoria de redes sob o ponto de vista da logística brasileira, especificamente o modal aquaviário e sua tipologia cabotagem. Tal análise foi permitida, a partir da disponibilidade dos dados estatísticos sobre a movimentação de cargas no Brasil advindos do Sistema Aquaviário da Agência Nacional de Transportes Aquaviários. Uma matriz para construção da rede foi estabelecida, o quê permitiu, posteriormente, a identificação das diversas métricas de redes como o grau desta, coeficiente de aglomeração e intermediação. Os portos de Santos (SP) e Suape (PE) apresentam-se com os maiores graus de entrada e saída da rede, estabelecendo-se assim como os hubports da navegação por cabotagem brasileira entre os anos de 2010 a 2015. Os resultados apresentados apontam um excesso na movimentação de cargas nos hubports, bem como uma oportunidade do ponto de vista logístico, de crescimento e investimentos em portos como Salvador(BA) e Vitória (ES) para fortalecimento da navegação marítima nacional.


Palavras-chave


Teoria de Redes, Redes Marítimas, Cabotagem, Hubports

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254782rmetg2019vol4n3866

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Carlos César Ribeiro Santos, Hernane Borges de Barros Pereira, Anderson da Silva Palmeira, Marcelo do Vale Cunha

Revista Mundi Engenharia, Tecnologia e Gestão ISSN 2525-4782

Qualis: B4 - Interdisciplinar, B5 - Geografia, B5 - Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo, B5 - Comunicação e Informação, B5 - Engenharias III

 

Bases indexadas