ANÁLISE DOS INDICADORES SOCIOECONÔMICOS DE DIFERENTES ESTRATOS DE RENDA DA AGRICULTURA FAMILIAR DE ITAPEJARA D’OESTE-PR

Ana Paula Schervinski Villwock, Miguel Angelo Perondi

Resumo


A crescente orientação das práticas sociais para o mercado fez com que a reprodução social dos agricultores familiares fosse alterada, principalmente na forma de obtenção da produção e da renda. Sabendo que na agricultura moderna a reprodução social da agricultura familiar se consolida pela diversificação das fontes de renda, seja agrícola ou não agrícola, e pela capacidade de adaptação aos novos contextos sociais, pergunta-se: Quais são as estratégias de renda dos agricultores familiares de Itapejara D’Oeste nos anos 2005 e 2010 e quais os indicadores que caracterizam a renda dessas famílias? Para tanto, procurou-se analisar a estratégia de renda dos agricultores familiares de Itapejara D’Oeste nos anos 2005 e 2010, bem como, os indicadores socioeconômicos que caracterizam a composição da renda. Como resultado identificou-se que o aumento da renda aconteceu via: (1) o aprofundamento do processo de mercantilização; (2) os altos investimentos em tecnologia das unidades de produção familiar no binômio de produção grãos e leite; (3) a maior disponibilidade de trabalho total e de terra; (4) a diversificação da renda total das unidades de produção familiar.


Palavras-chave


Mercantilização, Renda, Agricultura Familiar, Diversificação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254790rmmaa2017vol2n2373

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Ana Paula Schervinski Villwock, Miguel Angelo Perondi

Revista Mundi Meio Ambiente e Agrárias ISSN 2525-4790

Qualis: B2 - Sociologia, B4 - Interdisciplinar, B5 - Geografia, B5 - Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo