ATUAÇÃO POLÍTICA DE GRUPOS DE INTERESSE NA EVOLUÇÃO DA MATRIZ ENERGÉTICA DO BRASIL DE 1960 A 2019

Daniel Perdigão

Resumo


A agenda global de defesa contra as mudanças climáticas inclui a evolução da matriz energética em direção a fontes renováveis. O Brasil fez uma notável alteração de suas fontes de energia ao longo dos últimos 60 anos, passando de uma ênfase em combustíveis fósseis a uma priorização de energias renováveis. Este estudo analisa o caso dessa transição do ponto de vista político, buscando demonstrar como ela se deu pela observação da atuação política de três grupos de interesse (stakeholders) identificáveis: setor público, setor privado e sociedade civil. É possível identificar três fases nessa trajetória, com durações próximas de um vicênio cada: crescimento e expansão energética, estagnação do setor e busca por sustentabilidade energética. Os eventos ocorridos ao longo dessas seis décadas são classificáveis em três tipos: fenômenos essencialmente locais, reflexos locais de fenômenos globais e respostas locais singulares a fenômenos globais. O estudo desses eventos mostrou que a compreensão das opções tecnológicas realizadas requer levar em consideração o contexto político e socioeconômico de atuação dos grupos de interesses. Em particular, as respostas singulares do Brasil a acontecimentos mundiais mereceriam um estudo mais aprofundado, pois podem dar direções para soluções locais inovadoras a problemas no presente e no futuro.

Palavras-chave


Matriz energética. Política energética. Grupos de interesse.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254774rmsh2020vol5n31175

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Daniel Perdigão

Revista Mundi Sociais e Humanidades ISSN 2525-4774

Qualis: B2 - Ensino, B4 - Interdisciplinar, B4 - Psicologia