A POLÍTICA PÚBLICA DO PROGRAMA NACIONAL DO LIVRO DIDÁTICO (PNLD) COMO UMA TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA

Kelly Vanessa Fernandes Dias da Silva, Alysson Ramos Artuso, Roberta Suero

Resumo


Este artigo faz uma revisão bibliográfica sucinta sobre a influência do Estado capitalista na política pública do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) inserido na educação básica como uma tecnologia de ensino. O programa surge com o objetivo de avaliar e distribuir livros e materiais didáticos para todos os níveis de ensino presentes na educação básica do Brasil. Atualmente, movimentando mais de um bilhão de reais anuais, o programa desperta tanto o interesse acadêmico em sua investigação científica, como o interesse econômico de empresas multinacionais da área editorial e o interesse político de atores desejantes da visibilidade da possibilidade de guiar um projeto de país. Em uma visão no campo da Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS), políticas públicas podem ser entendidas como uma tecnologia. Neste sentido, argumenta-se que o PNLD é uma tecnologia por ter uma organização social, uma atividade com um propósito e um processo de intervenção sobre a sociedade, em forma de um programa criado pelo Estado com o objetivo declarado de melhoria da educação básica, como relevantes impactos no processo de ensino e aprendizagem. Refletir uma política pública criada para educação básica faz repensar em seus métodos e conformações que articulam os aspectos econômicos, políticos e sociais imersos no discurso de garantia de uma educação de qualidade a todos.

Palavras-chave


PNLD. Estado. Tecnologia. Política Pública. CTS.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254774rmsh2020vol5n11239

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Kelly Vanessa Fernandes Dias da Silva

Revista Mundi Sociais e Humanidades ISSN 2525-4774

Qualis: B2 - Ensino, B4 - Interdisciplinar, B4 - Psicologia