O JOGO DE XADREZ COMO UM ARTEFATO CULTURAL E TECNOLÓGICO

Isabela Ribeiro Ferreira, Cíntia de Souza Batista Tortato

Resumo


 Resumo: O presente artigo faz uma análise mediante a uma revisão bibliográfica da história do xadrez e sua influência cultural no mundo. Um jogo milenar tendo o seu precursor (Chaturanga) criado somente para suprir as necessidades de um rei que sofria pela perda de seu filho. Célebre pela sua disseminação mundial e atualmente ser um jogo de tabuleiro popular perante a todas as classes sociais. Tendo como seu marco histórico o século VI na Índia, transportado para a China, Japão e Coreia pelos comerciantes na rota da seda em direção a Pérsia. Tempos depois os árabes o aperfeiçoaram e criaram regras que perpetuam até os tempos atuais. Despertou e desperta interesses de pesquisadores sendo considerado um artefato tecnológico construído pelo homem para atender uma necessidade específica, visto também como uma tecnologia de transformação cultural observando que a sua passagem por vários povos obteve uma flexibilidade interpretativa por todos que o comunga. Ao apreciar o xadrez como um artefato cultural e tecnológico deve consideraras as mudanças sofridas e as transformações feitas sociedades que o acolheram e suas contribuições perante o mundo.

Palavra-chave: Xadrez, tecnologia e cultura.


Palavras-chave


Xadrez, tecnologia e cultura

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254774rmsh2020vol5n11267

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Isabela Ribeiro Ferreira

Revista Mundi Sociais e Humanidades ISSN 2525-4774

Qualis: B2 - Ensino, B4 - Interdisciplinar, B4 - Psicologia