POLÍTICAS SOCIAIS: EXPANSÃO E LIMITES NA SOCIEDADE CAPITALISTA

Silvio Aparecido Redon

Resumo


O presente artigo visa contribuir para o debate sobre as políticas sociais, tendo por objetivos trazer uma compreensão sobre o assunto e fomentar a reflexão crítica acerca do tema.  A revisão de literatura aborda a emersão da política social, em um contexto de agravamento das condições objetivas de vida da classe trabalhadora, por meio da intervenção estatal para  subsidiar a acumulação capitalista no recorte monopolista. Diante das condições históricas, ladeado por lutas trabalhistas e ascenção do socialismo no Leste Europeu, tem-se a formatação de um Estado Social consolidado na Europa Ocidental após a Segunda Guerra Mundial, que perdurou por cerca de trinta anos.Com a crise de 1970, que impõem barreiras ao capitalismo, ocorre uma retração desse modelo de regulação estatal e a ascenção do neoliberalismo, que irá trazer limites ao intervencionsimo dos governos com rebatimento nos direitos conquistados pelos trabalhadores, evidenciando sua incompatibilidade com a ampliação de direitos sociais.


Palavras-chave


Política social. Intervenção estatal. Estado Social. Crise do capital. Neoliberalismo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254774rmsh2017vol2n2276

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Silvio Aparecido Redon

Revista Mundi Sociais e Humanidades ISSN 2525-4774

Qualis: B2 - Ensino, B4 - Interdisciplinar, B4 - Psicologia

 

Bases indexadas