MOVIMENTO MAKER E A EDUCAÇÃO: A TECNOLOGIA A FAVOR DA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO

Luis Felipe Cordeiro, Samantha Cordeiro Guérios, Daiane Padula Paz

Resumo


Resumo: O avanço tecnológico na atualidade é algo surpreendente. Estamos em um mundo caracterizado por diferentes meios de comunicação e interação e pela grande quantidade de informações que recebemos em um curto espaço de tempo. Entre os anos de 1990 e 2010, o cenário permeado pelas mídias digitais, instruíram o movimento faça você mesmo (do it yourself = DIY) ou faça com os outros (do it with others = diwo) e deu origem ao que chamamos de Movimento Maker. Este movimento de cultura tecnológica parte da ideia de “pôr a mão na massa”, estimulando qualquer pessoa a consertar, modificar ou mesmo fabricar seus próprios objetos, da forma que desejar, com as próprias mãos. Tem por objetivo primordial propor experiências de aprendizagem para o uso e desenvolvimento de habilidades de criação, de forma individual ou coletiva, para a produção de artefatos diversos a partir do interesse e da necessidade de cada indivíduo. O Movimento Maker envolve propostas que mesclam robótica e automação, programação e fabricação digital com marcenaria, mecânica e outras experiências produtivas e inovadoras. Este artigo apresenta conceitos básicos sobre este movimento que tem ganhado adeptos no mundo inteiro, demonstrando sua aplicabilidade no âmbito educacional e elementos que o compõem, entendendo que quanto maior for a diversidade de recursos, mais rica pode ser a experiência Maker.


Palavras-chave


: Movimento Maker, Cultura Tecnológica, Educação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254774rmsh2019vol4n1735

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Luis Felipe Cordeiro, Samantha Cordeiro Guérios, Daiana Padula Paz

Revista Mundi Sociais e Humanidades ISSN 2525-4774

Qualis: B2 - Ensino, B4 - Interdisciplinar, B4 - Psicologia

 

Bases indexadas