A NATUREZA DO PENSAMENTO MATEMÁTICO: O trecho de um rio, seus acidentes, sua correnteza e sua vereda

Paula Cristina Bacca

Resumo


Neste texto discutimos a natureza do pensamento matemático a partir da filosofia da matemática e de algumas de suas vertentes. Na sequência apresentamos a ruptura do pensamento algébrico-geométrico, a partir de Descartes, destacando seu método analítico, diferenciando-o do sintético e o quanto ele foi o estopim para o desenvolvimento não só da matemática, mas das ciências de forma geral. A partir das sessões anteriores, fazemos uma leitura sobre algumas proposições acerca da natureza das Ciências por meio dos textos de Breno Arsioli Moura, Luiz Peduzzi & Anabel Raicik e com alguns epistemólogos do século XX. Nesse movimento, exemplificando algumas asserções sobre a natureza das ciências e suas aproximações com a construção do pensamento matemático, a matemática parece não ser uma ciência eternizada e única, ela seria construída permitindo modos distintos de tratar os diversos problemas supostos em cada época.

Palavras-chave


Descartes. Filosofia. Matemática. Ciência.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254774rmsh2020vol5n2754

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Paula Cristina Bacca

Revista Mundi Sociais e Humanidades ISSN 2525-4774

Qualis: B2 - Ensino, B4 - Interdisciplinar, B4 - Psicologia