RELATO DE EXPERIÊNCIA: ESTIMULAÇÃO COGNITIVA DE DEPENDENTES QUÍMICOS COM O JOGO DE XADREZ

Leo Pasqualini de Andrade

Resumo


O consumo de cocaína e crack está associado a diversas alterações cerebrais, prejuízos cognitivos e taxas reduzidas de recuperação. A cocaína exerce efeitos em regiões do córtex pré-frontal, associadas às funções executivas (FE), que envolvem a memória de trabalho, o controle de inibitório, a flexibilidade mental e a tomada de decisões. Na ausência de medicações eficazes, a utilização de estratégias de reabilitação neuropsicológica que estimulem as FE com o intuito de acelerar o reestabelecimento das funções cognitivas tem sido o desafio de pesquisadores. O objetivo deste artigo é relatar o trabalho voluntário durante os anos de 2015 e 2016 no Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, com a estimulação cognitiva em pacientes com dependência de cocaína e crack, utilizando-se, apenas, o jogo de xadrez. A estimulação cognitiva pode ser considerada como uma abordagem de tratamento complementar importante para a reabilitação dos déficits cognitivos que dificultam a recuperação e abstinência dos pacientes. Assim, é discutida a importância de estimular a memória de trabalho dos dependentes de substâncias, com o objetivo de melhorar o controle inibitório e a tomada de decisão. Enfatizar o treino na tomada de decisão parece ser crucial para um restabelecimento mais significativo dos pacientes em seu ajustamento social.


Palavras-chave


Dependentes de Cocaína e crack. Xadrez. Estimulação cognitiva

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254782rmetg2021vol6n11527

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Leo Pasqualini de Andrade

Revista Mundi Engenharia, Tecnologia e Gestão ISSN 2525-4782

Qualis: B4 - Interdisciplinar, B5 - Geografia, B5 - Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo, B5 - Comunicação e Informação, B5 - Engenharias III