RESÍDUOS ORGÂNICOS: CONCEITOS, NORMAS E LEVANTAMENTO DE DADOS SOBRE SUA GESTÃO EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO NO BRASIL

Isadora Marques Vieira, Lívia Hellen Mariano, Natássia Jersak Cosmann, Sandro Luíz Tomás Ballande Romanelli

Resumo


Assim como em todas as atividades humanas, nas instituições de ensino também são originados resíduos sólidos, os quais se assemelham quanto à classificação com os gerados nas residências domésticas e necessitam ser segregados e destinados corretamente conforme sua caracterização. Este trabalho tem por objetivo realizar um levantamento acerca de estudos publicados sobre a geração e o gerenciamento de resíduos sólidos de classificação orgânica nas instituições públicas de ensino do Brasil, bem como apresentar possíveis soluções para a destinação final ambientalmente correta destes materiais. Trata-se de uma revisão bibliográfica onde foram usados repositórios de informações acadêmicas, portais de periódicos, livros do assunto, entre outros materiais de pesquisa. Foi verificado que na maioria das escolas não há o descarte e/ou a destinação correta dos resíduos sólidos em geral, uma vez que não há uma legislação rigorosa para que se faça cumprir a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Através dos trabalhos que realizaram a composição gravimétrica nas instituições de ensino, observou-se a predominância de geração da tipologia dos resíduos orgânicos, cujas principais formas de armazenamento são em sacos plásticos e tem como destino final os aterros ou até mesmo os lixões a céu aberto. Quanto à destinação final dos resíduos orgânicos, a compostagem apresentou-se como opção viável, pois além de realizar o gerenciamento dos materiais com a posterior geração de adubo que pode ser utilizado em hortas escolares ou na jardinagem, permite que o processo seja observado como um laboratório vivo e dinâmico, onde a teoria da sala de aula pode ser visualizada na prática. Cabe às instituições de ensino “dar o exemplo” e promover em seus ambientes a sensibilização acerca da geração e da destinação dos resíduos junto a toda sua comunidade acadêmica, pois são os locais apropriados para a mudança de atitudes para a sustentabilidade e conservação do planeta.


Palavras-chave


Resíduos sólidos; Ambiente escolar; Mineralização da matéria orgânica; Meio ambiente.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254782rmetg2022vol7n11549

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Isadora Marques Vieira

Revista Mundi Engenharia, Tecnologia e Gestão ISSN 2525-4782

Qualis: B4 - Interdisciplinar, B5 - Geografia, B5 - Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo, B5 - Comunicação e Informação, B5 - Engenharias III