INTEGRALIDADE E ENSINO NA SAÚDE: REFLEXÃO TEÓRICO-LEGAL E RELATO DE EXPERIÊNCIA

Leonardo Essado Rios

Resumo


A integralidade é um dos princípios orientadores para uma formação profissional em saúde mais integrada ao Sistema Único de Saúde (SUS). Neste trabalho, o objetivo foi relatar a experiência do autor após a realização de um seminário sobre Integralidade e Ensino na Saúde, desenvolvido durante um curso de mestrado em Ensino na Saúde. A análise descritiva é problematizada com base na seguinte legislação concernente: Constituição Federal de 1988, Lei de Diretrizes e Bases (Lei 9394/96), Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação na saúde e Programa de Reorientação da Formação Profissional em Saúde (Pró-Saúde). Conclui-se que buscar a integralidade no ensino na saúde é dever do educador e direito do educando. Uma formação profissional em saúde que promova cada vez mais a integralidade no Ensino na Saúde é recomendada, a fim de que cada vez mais os discentes estejam aptos a um adequado enfrentamento da realidade do SUS.


Palavras-chave


Integralidade em saúde. Ensino. Formação Profissional em Saúde. Educação em Saúde. Educação Médica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254766msb2016vol1n1129

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Mundi Saúde e Biológicas

Revista Mundi Saúde e Biológicas ISSN 2525-4766

 

Bases indexadas