Análise do Serviço de Atendimento Médico de Urgência nos municípios de Ouro Preto e Mariana, Minas Gerais, Brasil

Ramon Sávio Moreira Lopes, Thaíse Regina Matos de Morais, Arthur Piassi Dias de Castro, Dênisson Pierre Silva Motta, Ruan Carlos Silva Menezes Pinheiro, Carolina Reis Gualberto, Helton Cristiano Gomes, Aloísio de Castro Gomes Júnior, Lásara Fabrícia Rodrigues

Resumo


Esse artigo apresenta um estudo de caso conduzido no Serviço de Atendimento Médico de Urgência de Ouro Preto e Mariana, Minas Gerais. Nesse estudo são estimados indicadores de desempenho utilizados na avaliação de políticas públicas e planejamento em saúde. Para tanto, foram coletados dados do ano de 2017, os quais foram analisados a partir de técnicas de Estatística Descritiva. Os resultados sugerem maior congestionamento do sistema entre o final da manhã e início da noite, entretanto, não foi observada diferença estatística ao longo dos meses, semanas e dias da semana. Em relação à localização geográfica, foi observada significativa correlação entre a população e os chamados em cada localidade. O tempo de resposta nas localidades foram significativamente diferentes, especialmente ao comparar distritos e sedes de municípios. A descentralização de ambulância melhorou os indicadores ao analisar o sistema como um todo, mesmo com piora no desempenho em algumas regiões. Por exemplo, o tempo médio de resposta do sistema passou de 16,48 para 16,07 minutos após a mudança, mesmo com significativo aumento observado no número de chamados no sistema. Os resultados obtidos podem ser utilizados para subsidiar futuras ações dos gestores do sistema de forma a melhorar o serviço oferecido à população.

Palavras-chave


Ambulâncias; Serviços Médicos de Emergência; Planejamento em Saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254766msb2021vol6n21449

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista Mundi Saúde e Biológicas (ISSN: 2525-4766)

Revista Mundi Saúde e Biológicas ISSN 2525-4766

 

Bases indexadas