INCLUSÃO OU EXCLUSÃO NA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL?

Moacyr Salles Ramos

Resumo


O artigo analisa as recentes transformações na política de educação profissional no Brasil, buscando identificar as possibilidades dessa política na socialização do conhecimento para a classe trabalhadora. Para tal, traçamos uma discussão sobre a importância da instrumentalização dos trabalhadores em sua luta contra o capital, caracterizando a educação como processo histórico contraditório e apresentamos o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), que tem ampliado significativamente a oferta de vagas em educação profissional no Brasil. Realizamos revisão bibliográfica e trazemos dados de uma pesquisa sobre o programa. Foi possível constatar que, apesar de possíveis experiências pontuais, a democratização proposta pelo Pronatec tem se desenvolvido através de um processo de inclusão excludente, isto pela precarização dos processos formativos, pelo aprofundamento do abismo entre formação para o trabalho e formação geral e pela limitação na socialização do conhecimento científico, tecnológico e cultural para o público atendido.

 


Palavras-chave


Políticas Públicas, Educação Profissional, Questão Social, PRONATEC

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254774rmsh2016vol1n2121

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Moacyr Salles Ramos

Revista Mundi Sociais e Humanidades ISSN 2525-4774

Qualis: B2 - Ensino, B4 - Interdisciplinar, B4 - Psicologia