REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E SEU IMPACTO NA EFETIVIDADE DA INCLUSÃO

Maria Aparecida de Carvalho Correia, Alexandre Guilherme Motta Sarmento

Resumo


Diante de um cenário em que se observa alguns países, como os Estados Unidos da América e o Brasil, em um movimento de retrocesso civilizatório e de autoritarismo político, resultando, por vezes, em cerceamento de direitos já conquistados por alguns grupos minoritários, este artigo teórico propõe-se a refletir a respeito da constituição de representações sociais sobre as pessoas com deficiência, por meio de breve retrospectiva histórica e a partir da interveniência de fenômenos como alteridade, diversidade, preconceito, estereótipos e estigmas. Constata-se que o reconhecimento das diferenças entre os seres humanos, e a sua consequente exclusão, deriva da definição de um padrão de normalidade que serve como parâmetro para a classificação dos indivíduos, levando-se em consideração atributos físicos, comportamentais ou sociais. Busca-se, portanto, demonstrar que é imprescindível a transformação das representações sociais consolidadas sobre as pessoas com deficiência para que se reconheça a deficiência como parte da condição humana e, assim, seja-lhes garantido o acesso irrestrito a direitos e à efetiva inclusão social. Por fim, identificou-se a necessidade de se incrementar a pesquisa científica sobre os impactos das representações sociais na efetividade da inclusão das pessoas com deficiência nos diversos ambientes sociais, como a escola, a universidade, o mercado de trabalho, dentre outros.

Palavras-chave


Representações Sociais. Pessoas com Deficiência. Inclusão Social

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21575/25254774rmsh2021vol6n11353

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Maria Aparecida de Carvalho Correia, Alexandre Guilherme Motta Sarmento

Revista Mundi Sociais e Humanidades ISSN 2525-4774

Qualis: B2 - Ensino, B4 - Interdisciplinar, B4 - Psicologia